quarta-feira, 19 de julho de 2017

Exigimos imediata intervenção federal no Estado do Rio

É urgente e imediata a intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro, que vive uma situação de genocídio, caos, abandono total. Por falta de governo, cidadãos morrem nas ruas e hospitais, crianças são assassinadas em escolas e nas ruas por causa da guerra civil, enfim, todos os princípios básicos dos Direitos Humanos estão sendo violados à luz do dia. À luz da morte.

Nessa chacina generalizada, causada pela corrupção e luxúria com o dinheiro público, o governo do Estado do Rio decidiu, há tempos, não pagar o funcionalismo ativo, aposentados, inativos e afins, alegando falta de dinheiro. Mentira! Isso é falta de moral, é falta de governo.

O que os parlamentares do Rio* tem feito em prol da única solução para o Estado, a intervenção federal? O que fazem? O que dizem? Que satisfação nos dão já que estão em Brasília por nossa culpa?

Indigno, cruel, nefasto, escroque, o ato de deixar milhares e milhares de idosos à míngua é o mais grave capítulo da trágica e imunda trajetória do governo do Estado.

Não pagar a quem já não mais consegue trabalhar é estuprar o mais indefeso dos mortais. Os idosos não tem mais tempo, sua força não é como a de antes, mas a maioria absoluta honrava seus compromissos do dia a dia como pagar o mercado, a farmácia (que está um assalto), o condomínio, os impostos. Mas o deslavado governo do Estado decidiu transformar os idosos em inadimplentes - como ele -, governo do Estado. É muita patifaria. Sobra vilania nessa torpe história.

O governo federal está parado, estagnado, anêmico. Como imaginar uma intervenção federal no RJ se o governo federal é incapaz de intervir em si mesmo? Não interessa. O RJ exige a intervenção, mesmo que o Governo Federal tenha que se reinventar.

Os atores desse teatro mórbido que assistimos no Estado do Rio vão entrar para a História. É certo. Pela sarjeta. É mais certo ainda. Qualquer governante com o mínimo de dignidade, antes de atirar idosos na miséria, deferia oferecer o próprio pescoço ao sacrifício e renunciar. 


Pelo bem da humanidade.


Mas seria exigir muita grandeza de parasitas tão mesquinhos.

* Senadores que nós do RJ pusemos em Brasília:

Eduardo Lopes (PRB) Período 2011-2019
Lindbergh Farias (PT) Período 2011-2019
Romário (Pode) Período 2015-2023

* Deputados federais que NÓS colocamos em Brasília em 2014:

Jair Bolsonaro (PP) – 464.572 votos
Clarissa Garotinho (PR) – 335.061 votos
Eduardo Cunha (PMDB) – 232.708 votos
Chico Alencar (PSOL) – 195.964 votos
Leonardo Picciani (PMDB) – 180.741 votos
Pedro Paulo (PMDB) – 162.403 votos
Jean Wyllys (PSOL) – 144.770 votos
Roberto Sales (PRB) – 124.087 votos
Marco Antônio Cabral (PMDB) – 119.584 votos
Otavio Leite (PSDB) – 106.398 votos
Felipe Bornier (PSD) – 105.517 votos
Sóstenes Cavalcante (PSD) – 104.697 votos
Washington Reis (PMDB) – 103.190 votos
Rosangela Gomes (PRB) – 101.686 votos
Júlio Lopes (PP) – 96.796 votos
Índio da Costa (PSD) – 91.523 votos
Alessandro Molon (PT) - 87.003 votos
Hugo Leal (PROS) – 85.449 votos
Glauber (PSB) – 82.236 votos
Cristiane Brasil (PTB) – 81.617 votos
Jandira Feghali (PCdoB) – 68.531 votos
Dr. João (PR) – 65.624 votos
Simão Sessim (PP) – 58.825 votos
Celso Pansera (PMDB) – 58.534 votos
Miro Teixeira (PROS) – 58.409 votos
Aureo (SD) – 58.117 votos
Sergio Zveuter (PSD) – 57.587 votos
Arolde de Oliveira (PSD) – 55.380 votos
Rodrigo Maia (DEM) – 53.167 votos
Chico D’Angelo (PT) – 52.809 votos
Cabo Daciolo (PSOL) – 49.831 votos
Luiz Sergio (PT) – 48.903 votos
Alexandre Serfiotis (PSD) – 48.879 votos
Deley (PTB) – 48.874 votos
Soraya Santos (PMDB) – 48.204 votos
Benedita da Silva (PT) – 48.163 votos
Paulo Feijó (PR) – 48.058 votos
Marcelo Matos (PDT) - 47370 votos
Fernando Jordão (PMDB) – 47.188 votos
Francisco Floriano (PR) – 47.157 votos
Marcos Soares (PR) - 44.440 votos
Altineu Cortes (PR) – 40.593 votos
Fabiano Horta (PT) 37.989 votos
Ezequiel Teixeira (SD) – 35.701 votos
Luiz Carlos Ramos do Chapeu (PSDC) – 33.221 votos
Alexandre Valle (PRP) – 26.526 votos


Apenas metade do número de deputados do Rio foi renovada. Dos 46 candidatos, 23 foram reeleitos em 2014.