quinta-feira, 1 de março de 2018

Cezar Motta lança livro contando a história do Jornal do Brasil, entre 1891 e 2010

O jornalista Cezar Motta lança neste mês de março o livro “Até a última página: uma história do Jornal do Brasil” (Editora Objetiva). Ao longo de 552 páginas, Motta narra, em profundidade, a trajetória do jornal que durante décadas foi o mais importante do país, entre o nascimento 1891 e 2010.
Após oito anos, o JB, sob nova gestão, retornou as bancas no último domingo em edição impressa.

Foi um trabalho árduo. O jornalista passou anos entrevistando os principais personagens que fizeram a história do jornal, além de mergulhar em vários arquivos.

O lançamento do livro em Brasília será dia 20 de março, terça-feira, a partir das 19 horas, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi.
No Rio será dia 26 de março, segunda-feira, a partir das 19 horas, na Fiorentina do Leme.

Cezar Motta é um dos mais brilhantes jornalistas da sua geração e, entre outras qualidades se destaca pela dedicação quase obsessiva pela apuração/confirmação dos fatos.

Sobre o livro, o texto de apresentação:

Sinônimo de excelência no jornalismo, inovação e modernidade, por muitas décadas o Jornal do Brasil foi a leitura diária de muitos brasileiros.
O jornalista Cezar Motta entrevistou dezenas de pessoas e mergulhou fundo em uma extensa pesquisa documental para reconstituir a trajetória do JB desde a sua fundação, em abril de 1891, até o seu fim como jornal impresso, em 2010.
O resultado é um livro fascinante, que aborda desde as relações do jornal com os governos civis e militares até o dia a dia da redação.

Os eventos protagonizados por nomes do quilate de Alberto Dines, Elio Gaspari, Millôr Fernandes, Zózimo, Carlos Castello Branco, Amilcar de Castro, Carlos Lemos e Wilson Figueiredo, entre muitos outros, acabam por compor uma espécie de mosaico dos mais variados aspectos da sociedade brasileira durante quase um século.
“Até a última página” é leitura indispensável para todos aqueles que desejam conhecer a ascensão e a queda de um dos jornais mais emblemáticos do país.

“Esta grande reportagem tem tudo para se constituir em uma preciosa fonte para futuros historiadores, ao examinar bastidores da relação entre imprensa e poder, sobretudo ao longo do século XX no Brasil.” – Ana Maria Machado.