quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Ao mestre com carinho


Leitores/ouvintes quase sempre tem razão quando opinam. Meu podcast, que se chama RockCast, não ficava num lugar só. Em três edições já foi colocado por mim em três links diferentes, o que irrita e confunde o ouvinte.

A boa notícia é que a partir do RockCast 3, que está online, isso não vai mais acontecer. Daqui para frente vou colocar todos no mesmo link, para o ouvinte participar mais, divulgar melhor, e baixar o dia que quiser. Você sabia? RockCast pode ser baixado de graça e o endereço fixo é este aqui (pode clicar) : https://www.podomatic.com/podcasts/luiz-antonio-mello80978/episodes/2018-11-26T05_11_16-08_00

É a minha primeira experiência em podcast, apesar do banho de éter que levei há umas semanas quando, pesquisando sobre essa mídia, li em vários sites que não tem quase nenhuma audiência. Insisti e fiz porque tenho algumas convicções, entre elas a certeza de que existe uma multidão que gosta de bons discos e bons artistas de rock. Por isso, resolvi despejar em podcasts curtos (de 10 a 16 minutos, no máximo) o que acho que sei sobre a história do rock e seus discos.

Especialistas dizem que podcasts necessitam de intensa e permanente divulgação e é o que tenho procurado fazer, sem torrar o saco das pessoas. Não gosto de nada invasivo, não ponho o link no whatsapp, faço alguns comentários no Facebook e disparo e-mails semanais. Não penso em conseguir dois milhões de cliques e nem transformar RockCast em celebridade. O meu negócio é passar adiante o que acho que sei.

Fora isso, sou muito persistente quando acredito em algo e, modéstia a parte, eu acredito muito no RockCast. Principalmente a partir do episódio 2, quando passou a contar com a voz de Juliana Demier na abertura e a mixagem, montagem, efeitos de Luck Veloso, diretor da Rádio Cult FM. Minha tenacidade tem algumas referências, sendo meu pai a principal. Sidney Poitier (91) está sempre presente por sua luta, força, insistência e, sobretudo, extremo talento.

Em 1963 ganhou o Oscar de melhor ator pelo filme “Uma voz nas sombras”, o primeiro de um ator negro, numa das fases mais sinistras da história do racismo norte-americano. Ele nadou contra a maré e conseguiu. Nosso RockCast também decidiu contrariar e partir para cima.

Ao mestre com carinho.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opinião não é palavrão. A sua é fundamental para este blog.