segunda-feira, 17 de abril de 2017

Frente fria


Roubaram o frio?

Como incêndio em campos sem centeio, corre a lenda que amanhã uma frente fria vai chegar ao Estado do Rio. Ninguém sabe ao certo porque as chamadas “moças do tempo” dos noticiários de TV resolveram complicar tudo. Ao invés de dizerem “vai chover e a temperatura deverá chegar aos ...graus”, ficam de devaneios, para mim, inúteis. Não quero saber o que é zona de convergência. Quero saber por que as frentes frias sumiram do RJ há anos. Aliás, uma boa matéria para as “moças do tempo” correrem atrás.

A intuição e meus pesadelos vomitam e dizem que quando a Amazônia foi vendida no mercado negro e passou a ser desmatada impiedosamente, tudo mudou. Soma-se a isso o fim da mata atlântica e o surgimento de uma região metropolitana que pode ser resumida como um conjunto de favelas salpicado de raras ilhas de verde”. Quer prova? Dê um Google e veja imagens de satélites. Mais: quando viajar de avião, olhe o Rio de cima. É uma visão trash.

Os capos de ontem e hoje da Corruptolandia fizeram da Amazônia um bom negócio. Para eles. Corrompem até a alma indígena fornecendo computadores e celulares conectados a internet a tribos aculturadas pela lambança. Transformam floresta em pastos, campos. Destroem rios, lagos, animais. A Amazônia deveria ser guardada por tropas da ONU.

Frente fria. Como era comum no Rio. Frente fria da boa, com direito a bruma, chuva leve constante, frio, muito sereno, nessa época do ano acompanhada de ressacas que faziam o mar invadir. Víamos o que sobrou da natureza respirar, um alívio que nos contagiava.

E pelo visto, está tudo muito bom. Está tudo muito bem.